4 de jun de 2013


Ernst acordou cedo naquele dia.Fez uma xícara de chá como em toda manhã e se sentou na varanda. Havia sido mais uma noite mal dormida. Malditos fantasmas,malditos.-resmunga tomando pequenos goles de seu chá. A vista era bela, uma montanha ao longe com os topos cheios de neve,um lindo bosque a frente de sua simples cabaninha, um belo jardim onde o gelo derretia e fazia o verde das plantas brilhar a luz do Sol.

Ele havia se mudado para lá a 3 dias ,depois do terrível acidente.Sua amada, Marry,de 62 anos havia sido encontrada em uma árvore,enforcada,morta.
Ernst preferiu não enterrar o corpo de Marry,pelo contrário, ao invés de se despedir, ele foi ao seu encontro,mudou-se para o terrível vale onde sua mulher perderá a vida, e comprou uma cabaninha em frente a árvore forca.
Todos dias ele via o corpo de sua querida se decompor cada vez mais, cada dia ela deixava de ser a doce Marry por quem Ernest se apaixonara naquela primavera de 73.

Ele estava sentado na praça central da cidade, desolado. Ernst havia sido despedido de seu emprego e estava sem expectativa alguma do que fazer de sua vida.Então Marry por acaso sentou no seu lado.Ele olhou para aqueles lindos olhos verdes e viu esperança.A partir dali,os dois se conheceram se apaixonaram.

Os filhos nunca vieram mas isso não atrapalhava a felicidade do casal.Viveram felizes, com dificuldades, mas sempre juntos.Mas Marry já não demonstrava aquela vitalidade de antes.Se sentia mal, e com muitas dores.
O que sucedeu mudou a vida dois dois pra sempre .Marry foi diagnosticada com câncer  nos ossos.Não se passou muito tempo e a doença já estava em um estado grave. As dores eram insuportáveis,ela se contorcia,não aguentando  mais tudo isso.

E naquela sexta feira,ela havia sumido.Dias se passaram e ninguém a encontrou, até que na quinta feira seguinte chegou a notícia.Ela havia sido encontrada enforcada.Suicídio .Na carta que deixará pendurada na árvore ela dizia adeus." Querido Ernst,não aguento mais,simplesmente não aguento,vou acabar com meu sofrimento.Todos esses anos foram lindos e maravilhosos com você, te amo e sempre te amarei.Não sofra como eu Ernst, fuja de seu sofrimento, fuja ! Adeus meu querido. "

Ernst olhava para as órbitas sem vida de sua amada.Ele ainda via esperança." fuja de seu sofrimento, fuja". Ele havia entendido a mensagem.Ele fugiria do sofrimento.
Não vou mais conviver com meus fantasmas,não vou mais ver minha mulher morta todos dias. -pensou ele decidido em finalmente se libertar.

Naquele dia,a árvore forca tinha mais um corpo pendurado .Ernst fugiu do sofrimento,para os braços de sua amada,na eternidade.

Autoria: Curtida Ofensiva ( Bruno Nicolodi )



0 comentários ofensivos :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...